Desafios Pessoais

As artes marciais ensinam que quando o praticante vai para um combate não está lutando contra o adversário à sua frente, mas realizando uma batalha contra si mesmo, desafiando seus receios, medos e limitações. A maior luta que podemos ter na vida é o duelo próprio que fortalecerá nossas qualidades e transformará também em virtudes aquilo que não temos de tão bom, e só há um desafiante e um desafiado nesse embate.

Quando um empresário começa um negócio, ele deve estar ciente que não serão os concorrentes os seus maiores obstáculos para o sucesso, mas ele mesmo, pois todos os seus defeitos e qualidades aparecerão nitidamente em sua empresa. Caberá ao empreendedor encarar a realidade nua e crua, enfrentar suas limitações e contratar pessoas que tenham as qualidades que ele não tem. Depois disso, é preciso baixar seu ego para que possa aprender as virtudes dessas pessoas.

DeRose, deixa isso muito claro em apenas uma sentença “Supera-te a ti mesmo, antes de ao teu irmão”. Se desejarmos crescer como seres humanos temos que parar de querer transferir a responsabilidade do que acontece connosco e passar a assumir que nossa vida segue o rumo que nós mesmos determinamos a partir de nossas ações.

Todo grande atleta compartilha com a sabedoria das artes marciais e sabe que ao encarar a competição ele está se desafiando mais do que aos outros. Porque um superatleta como o nadador Michael Phelps, a pessoa com mais pódios olímpicos da história, continuaria a treinar obsessivamente, se não fosse para superar suas próprias limitações?

michael-phelps-athletic-quotes

Observe no seu dia-a-dia o quanto você age dessa maneira, tentando transferir a responsabilidade do que acontece com você para outras pessoas e assim dando a elas o pouco do livre arbítrio que você ainda lhe resta. Assuma o controle do seu destino. Mais sábio será seguir uma recomendação do próprio Phelps na qual ele diz “Não devemos nos impor tantos limites”.

Via Método DeRose Itaim

Anúncios

Descomplicar a existência

“Qualidade de vida é tornar sua existência descomplicada; é fazer o que lhe dá prazer, com alegria, saúde e bem-estar” – DeRose

Seria irreal e um tanto imaturo acreditar que podemos nos abster dos percalços da vida, entretanto, descomplicar a existência e as formas que utilizamos para administrar um embaraço, é uma questão de escolha e posicionamento perante as circunstâncias.
Por mais que consideremos vivenciar uma experiência turbulenta como algo indigno de nós, as adversidades não deixarão de existir. Pelo contrário, os obstáculos estão sempre ao nosso redor sacudindo nossas estruturas para transformar nossos paradigmas mais profundos e reavivar a nossa capacidade de realizar.
É importante acreditar que as coisas podem ter um final positivo, por uma razão bastante simples: porque é possível. Mas, para isso, é preciso despertar uma interna e profunda convicção acerca das nossas reais capacidades. Uma atitude crucial para consolidar essa mudança é aprender a perceber que nos problemas estão encerradas as nossas mais preciosas oportunidades de crescimento.

O prazer de agir

Ao invés de ficarmos trôpegos ou paralisados perante o infortúnio, lamentando-nos pelo revés, podemos nos sentir privilegiados a cada desafio. É isso mesmo, sentirmo-nos privilegiados por ter problemas!
Se uma determinada situação chega às nossas mãos, certamente é porque somos fortes, eficientes e capazes para administrá-la. Encará-la de frente, sem temer, fingir ou fugir é a grande oportunidade de aprender e mudar. Assumindo a responsabilidade por fazer diferente conquistamos novas habilidades para reconstruir nosso castelo em um alicerce ainda mais firme.
A realidade nada mais é do que a leitura que se faz dela. Manter o coração confiante perante as intempéries e extrair contentamento de todas as situações é descomplicar a existência. Isso nos permite preservar a estabilidade interna mesmo nos maiores vendavais. A cada bonança conquistada, a manhã de sol será ainda mais linda.

Dicas:

1. Simplifique. Estabelecer prioridades e cumpri-las é importante para o seu crescimento e estabilidade.
2. Aprenda a dizer não e a colocar limites de forma cordial e elegante, sem se justificar.
3. Querer agradar a todos é o primeiro passo para dispersar sua atenção de seus objetivos.
4. Avalie “o que” precisa ser feito para desenvolver a habilidade de “como” fazer.
5. Desenvolva proatividade no momento de adversidade.
6. Assuma a responsabilidade por fazer as coisas acontecerem.
7. Quem fica parado afunda, mova-se.
8. Adote uma metodologia de aprimoramento pessoal que desenvolva suas habilidades através da boa alimentação, boa forma e boa cabeça.
9. Descubra seus talentos e acredite naquilo que encontra eco em seu coração.

Texto da Instrutora Fernanda Monteforte

O Homem mais feliz do mundo

Matthieu Ricard é considerado o homem mais feliz do mundo. Diz que vinte minutos de meditação por dia são suficientes para melhorar a sua vida. O monge participou numa investigação da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, sobre os efeitos a curto e médio prazo da meditação nas funções cerebrais e deixou os cientistas de boca a aberta. Pode dizer-se que literalmente rebentou a escala da felicidade. “Quando fui convidado a participar no estudo, pensava que o efeito da meditação não se iria notar. Mas foi impressionante, os cientistas ficaram muito entusiasmados.”

Práticas para o dia-a-dia III

Grande parte da energia que consumimos para trabalhar, para nos divertirmos, para realizarmos exercício físico e até para  nos relacionarmos com as outras pessoas provém do acto de respirar.  No entanto, ao longo da vida acostumamo-nos a executar de forma automática uma respiração que é superficial e torácica, e que representa apenas 10% da nossa capacidade pulmonar.

Ao iniciarmos as práticas de Yôga reeducamos a nossa respiração tornando-a mais profunda e consciente. Começamos pela respiração abdominal – que representa 60% da capacidade pulmonar – e depois a intercostal – que representa 30% – além da torácica (os restantes 10%). A prática constante é a responsável por  proporcionar um acréscimo de energia, que será direcionado às suas actividades físicas, emocionais e mentais.

É por isso que as técnicas respiratórias são tão importantes. A respiração automática, que a maioria das pessoas utiliza, é naturalmente mais rápida e curta, desencadeando estados de ansiedade ou mesmo de melancolia, dependendo da pessoa.

Aos poucos, a respiração que aprende na sala de prática vai sendo transferida para todos os momentos do seu dia.

Exercícios Respiratórios:

Sente-se numa posição confortável.

Respiração abdominal

Ao inspirar direccione o ar para a parte baixa dos pulmões, dilatando o abdómen, retenha o ar por alguns segundos, sem contar ritmo e ao expirar contraia-o ligeiramente para dentro. Procure encher a parte baixa dos pulmões a cada inspiração e esvaziar tanto quanto possível a cada expiração. Atente a que a movimentação abdominal seja da seguinte forma: quando enche a parte baixa dos pulmões com ar o abdómen expande e quando esvazia o abdómen contrai ligeiramente. Mantenha o exercício por alguns minutos, tomando consciência da movimentação e da capacidade respiratória da parte baixa dos pulmões.

Respiração intercostal

Coloque as palmas das mãos tocando os lados das costelas, com os dedos voltados para a frente e ao expirar faça pressão com as mãos, de forma que estas empurrem as costelas e as pontas dos dedos se aproximem na altura do plexo solar. Ao inspirar, desfaça a pressão das mãos, deixando agora que estas sejam impelidas para fora, pelas costelas.

Ao inspirar as costelas afastam-se, levando o ar para a parte média dos pulmões, retenha por alguns segundos com ar e ao expirar aproxime as costelas.

Neste exercício não se movimenta a parte baixa nem a alta dos pulmões e quando a musculatura intercostal estiver bem dominada a utilização das mãos poderá ser dispensada.

Mantenha o exercício por alguns minutos, treinando a respiração média e ampliando a movimentação intercostal, aumentando, assim, a amplitude pulmonar.

Respiração clavicular

Inspire e leve o ar para o ápice dos pulmões. Mantendo a musculatura abdominal e intercostal levemente contraídas e sem movimentação. Retenha com ar enquanto for confortável e expire suavemente, sem pressa. Esta é a respiração alta. Utilize a parte alta dos pulmões, inspirando elevando o peito retém com ar e expira baixando o peito. Mantenha o exercício por alguns instantes.

Respiração completa

Inspire projectando o abdómen para fora, em seguida, as costelas para os lados e, finalmente, dilatando a parte mais alta do tórax. Retenha o ar nos pulmões por alguns segundos, enquanto for confortável, e expire soltando o ar, primeiramente, da parte alta, depois parte média e finalmente da parte baixa dos pulmões.

Traga ar para os pulmões pela parte baixa, média e alta, retenha com ar e esvazie os pulmões pela parte alta, média e baixa. Utilize agora as três partes dos pulmões, que estivemos a treinar nas faixas anteriores, trazendo o ar pela parte baixa, média e alta e esvaziando pela alta, média e baixa.

Até se tornar automático, atente à movimentação: ao encher os pulmões com ar, o abdómen é dilatado, as costelas afastam-se e o tórax eleva-se. Assim, estamos a estimular todo o potencial e capacidade dos nossos pulmões. A proporcionar uma maior oxigenação e produção de endorfinas e consequentemente uma sensação única de bem-estar, leveza e vitalidade.

Mantenha o exercício por vários minutos. E lembre-se que a respiração é nasal e silenciosa.

562909_431163840269106_2046758187_n

Práticas para o dia-a-dia II

8h bem dormidas!

Sim, dormir é importante. E nos dias de hoje dormimos pouco. Culpem a televisão, os empregos exigentes, os computadores, a verdade é nos deitamos cada vez mais tarde  e acordamos muito cedo.

O sono tem excelente poderes retemperadores e precisamos dele para o equilíbrio hormonal . Oito horas de sono por dia, ajudam a restaurar a energia, diminuir a dor e a perder peso.

 Dicas para dormir melhor:

–  Deixe o computador portátil e a televisão longe do quarto. Lembre-se que a sua cama deve ser usada para apenas duas coisas: dormir e sexo!

– Tenha horários regulares. Procure deitar-se e acordar sempre à mesma hora, este hábito ajuda-o a criar um ciclo de sono saudável.

– Adopte hábitos saudáveis. Cuide da sua alimentação e faça exercício. Opte por refeições leves ao jantar e exercite-se pelo menos 3 horas antes de ir dormir.

– Não execute actividades complexas antes de se ir deitar. Se  conhecer técnicas de  meditação, exercícios respiratórios, etc., pratique-os antes de ir dormir. Esvazie a sua mente antes de ir dormir.

Práticas para o dia-a-dia I

A primeira coisa do dia deve ser a meditação, ainda que curta.

Sente-se, de preferência com as pernas cruzadas em algum ásana de meditação. Costas erectas, olhos fechados.

Antes de mais nada, procure recordar-se do que sonhou. No início as lembranças são nebulosas. Depois, à medida que se for adestrando no exercício, as imagens tornam-se mais claras, até que conseguirá lembrar-se de tudo o que vivenciou desde que começou a dormir até ao momento em que acordou. Tente compreender seus simbolismos oníricos e aprender com o seu próprio inconsciente. Isso é importante para o autoconhecimento.

Com o passar do tempo, você poderá desenvolver a capacidade de manter a lucidez ininterrupta, 24 horas por dia, inclusive durante o sono.

Um sector do cérebro dorme e o outro observa o que aflui das áreas subjectivas da sua consciência. Nesse espaço de tempo, o praticante pode trabalhar em projectos artísticos, intelectuais e outros. E pode, ainda, praticar meditação, mesmo com o corpo adormecido, para explorar a intuição linear.

Terminado o exercício de recordação da fase de sono, pratique qualquer técnica de meditação durante um mínimo de cinco, uma média de 20 e um máximo de 30 minutos. Se estiver sem tempo, medite um minuto, mas não deixe de fazer o seu exercício.

Shiva-Mudrá

Adaptado do livro Tratado de Yôga, do Mestre DeRose.