Programa 31 dias de Meditação

Programa 31 dias de Meditação – 3ª edição

Inicio a 27 de Setembro
Fim a 25 de Outubro

Sessões:
sexta, 28 de Setembro às 20h15
sexta, 4 de Outubro às 20h15
sexta, 11 de Outubro às 20h15
sexta, 18 de Outubro às 20h15
sexta, 25 de Outubro às 20h15

Destinatários:
Quem nunca praticou meditação ou tem pouca experiência.

Programa:
Uma sessão por semana com duração se uma hora. (Inclui noções teóricas e prática de meditação)
Pretende-se que nos restantes dias da semana o praticante faça as suas práticas de meditação em casa seguindo as instruções que vão sendo dadas nas sessões semanais.

Teoria:
O que é a meditação
Mitos sobre a Meditação
A natureza da mente
Meditação passo a passo
Estabelecer uma prática diária
Posição física, tempo para praticar, escolher um horário, estabelecer um espaço.
Cultivar a meditação ao longo do dia
Superar os obstáculos
A importância da estabilidade
Alguns Mestres famosos
Benefícios da meditação
Os vários tipos de Meditação

Informações & Inscrições:
Gratuito para alunos da Casa do Yoga
Mais informações:
escola@yogabraga.com
938321482

 

 

Programa 31 dias de Meditação – 2ª edição

Inicio a 1 de Março
Fim a 31 de Março

Sessões:
sexta, 1 de Março às 20h15
sexta, 8 de Março às 20h15
sexta, 15 de Março às 20h15
sexta, 29 de Março às 20h15

Destinatários:
Quem nunca praticou meditação ou tem pouca experiência.
É gratuito para alunos da Casa do Yoga.

Programa:
Uma sessão por semana com duração se uma hora. (Inclui noções teóricas e prática de meditação)
Pretende-se que nos restantes dias da semana o praticante faça as suas práticas de meditação em casa seguindo as instruções que vão sendo dadas nas sessões semanais.

Teoria:
O que é a meditação
Mitos sobre a Meditação
A natureza da mente
Meditação passo a passo
Estabelecer uma prática diária
Posição física, tempo para praticar, escolher um horário, estabelecer um espaço.
Cultivar a meditação ao longo do dia
Superar os obstáculos
A importância da estabilidade
Alguns Mestres famosos
Benefícios da meditação
Os vários tipos de Meditação

Informações & Inscrições:
email: escola@yogabraga.com
telefone: 938321482
ou visitando-nos de segunda a sexta, das 11h às 13 e das 15h às 20h

Dia 4 de Dezembro – Os segredos da meditação

Calendário do Advento
Cultura do Yoga

A meditação está cada vez mais em voga nos dias de hoje, e ainda bem! Todos os dias surgem artigos em revistas e jornais sobre este tema. Mas no meio de tanta informação começa a ser difícil separar o trigo do joio. No vídeo abaixo, Dandapani, um monge com bastante experiência na área, dá algumas boas dicas para quem está a começar.

  • A meditação não é um “pílula milagrosa” que vai eliminar todo caos da sua vida. Para progredir na meditação deve primeiro mudar a sua vida para que o seu lifestyle suporte a prática da meditação. Só assim a meditação trará benefícios.
  • A concentração é um ingrediente necessário à meditação. Se não se consegue concentrar, não consegue meditar. Então treine a sua concentração, ela deve fazer parte da sua rotina diária.
  • Praticamos concentração fazendo uma coisa de cada vez. O multitasking não favorece a concentração.
  • Uma das consequências da concentração é o poder de observação. O poder de observação dá-nos a capacidade de tomar melhores decisões.
  • É necessário que a prática da meditação seja consistente para poder usufruir dos seus benefícios. É como na alimentação, não basta alimentar-se de forma saudável durante um dia,  é necessário alimentar-se bem todos os dias para que isso tenha reflexo na sua saúde.
  • A meditação é como ter uma reunião consigo mesmo. O que é necessário para uma reunião? Marcar uma hora e um lugar. Então para a sua prática de meditação, marque a hora e o lugar, e não falte!

 

Petição por presença: esteja apenas aqui comigo

Morgan Day Cecil, professora de Yoga, criou um projecto chamado #justbewherewihtme.

“O projeto foi criado para ajudar cada um de nós a reinvestir parte daquele precioso tempo e atenção que normalmente gastamos nas redes sociais para outras partes da vida – especificamente para as pessoas e projectos que fazem o nosso coração vibrar. Respire fundo e acalme-se. Ouça profundamente. Consegues ouvir isto? Alguém (uma criança, uma esposa, talvez um velho amigo) ou algo (um projecto criativo, uma nova aventura, a vida lá fora) pode estar a sussurrar, esteja apenas aqui comigo.” Morgan Day Cecil

Para saber mais sobre o projecto, visitem o site da autora.

Petição Por Presença: Apenas esteja aqui comigo

Assinado: A Lua. As estrelas. O verão. A sua chávena de café ainda quente. A sua filha. O seu filho. O seu amor. O seu coração. A erva verde. As flores selvagens. As águas em que tanto quereres nadar. A cor amarela. A cor azul. O seu poema favorito. O seu cobertor favorito. O vento no seu cabelo. As ondas do mar. O ar da montanha. O seu pai. A sua mãe. A chuva. O sorvete. A manteiga que derrete com o alho na frigideira. O senhor da mercearia com olhos tristes e gentis. Os cartões postais que esperam para serem enviados. O esquilo da cidade. O esquilo do país. Júpiter. O álbum de fotos. O rosário da sua avó. A sua música favorita. Papel e caneta. O seu melhor amigo. O dinheiro na sua carteira. O garfo na sua mão. Pincéis e tintas. A postura do cachorro. A cor turqueza. O quase invisível tom de rosa. Deus. O horizonte. A terra sob os seus pés.O seu projeto de paixão. A sombra de uma árvore gigante. Este momento, aqui e agora. Os seus ossos. A sua gargalhada de doer. A sua respiração. A sua respiração. A sua respiração.

A Biografia do Silêncio

Sugestão de leitura: A Biografia do Silêncio, Pablo d’Ors

Um livro simples e muito acessível sobre meditação, no qual o autor relata a sua própria jornada.

“Basta um ano de meditação perseverante ou apenas meio ano, mais ou menos constante, para se chegar à conclusão que se pode viver de outra forma. A meditação concentra-nos, devolve-nos a casa, ensina-nos a conviver com o nosso ser, fende a estrutura da nossa personalidade até que, de tanto meditarmos, esta fenda vai crescendo e a velha personalidade rompe-se e, como uma flor, começa a emergir outra nova. Meditar é assistir a este fascinante e tremendo processo de morte e renascimento.”

Para começar a meditar


Meditar não é coisa que se consiga da noite para dia. É uma prática que exige disciplina e perseverança. Na nossa cultura estamos o tempo todo voltados para o mundo externo. Crescemos com estímulos constantes à nossa volta: televisão, rádio, propaganda, internet, telemóvel… uma infindável poluição sonora e visual.

Procure tirar um momento todos os dias para praticar meditação.

Sente-se numa posição confortável. Não precisa ser necessariamente na posição de lótus, mas a coluna deve estar erecta. Feche os olhos, ou os deixe semicerrados. Respire pelo nariz. Não force a respiração, deixe-a fluir livremente. Concentre-se nela. Desligue-se do passado e do futuro, traga a atenção para o momento presente. Pronto! Meditar é simplesmente isso. Tão simples… mas tão profundamente

No início é difícil, a todo momento a mente dispara pensamentos. Até aprender a não  os seguir, a simplesmente deixá-los passar sem se identificar com eles, leva algum tempo. Comece com um minuto, aumente para cinco, depois para dez… e assim por diante.

 

Não pratique meditação

Não pratique meditação
Por Vernon Maraschin
Retirado da página do Autor

Desde a virada do ano, decidi que iria começar a treinar meditação com mais afinco. Como eu sempre fui muito distraído, esta parte técnica do Método DeRose sempre me escapava. Durante anos eu investi muito tempo da minha prática pessoal em técnicas respiratórias. Eu achava que elas poderiam se desenvolver naturalmente para uma concentração maior. Foi exatamente isso o que aconteceu e senti que era chegada a hora de investir mais na meditação.

Já faz dois meses desde que comecei. Nas primeiras duas semanas eu apenas me sentava ao lado da cama com as pernas cruzadas e treinava até os pés formigarem. Depois de 15 dias a disciplina estava tão gostosa que comecei a fazer o mesmo na parte da manhã também. Apesar de pouco tempo, muitos resultados positivos já começaram a aparecer. Me senti mais centrado, atento, produtivo e lúcido. Mas ao mesmo, alguns sintomas inesperados vieram à tona. Sensações que me fizeram pensar que, existem casos em que você não deve praticar a meditação.

Não pratique meditação se você empurra os compromissos com a barriga. O hábito de procrastinar é fatal durante o treinamento da meditação. Estes veios abertos, as responsabilidades do dia-a-dia surgem como disperssões mentais que implodem o exercício.
Não pratique meditação se você varre a sujeira emocional para debaixo do tapete. Todos nós nos conhecemos muito bem. A ponto mesmo de sabermos exatamente de nossos pontos fracos e faltas de caráter. Uma prática de meditação verdadeira irá escancarar estas nossas características menos boas e nos impelir a transformá-las.

Não pratique meditação se você não estiver aberto às mudanças. Toda expansão de consciência resulta inevitavelmente em uma transformação pessoal. Se não pretende mudar hábitos, aprimorar comportamentos, questionar conceitos pré-estabelecidos, melhor deixar esse treinamento mais para a frente.
Não pratique meditação se você não quer assumir as rédeas da sua vida. Vitimização e autoconhecimento não combinam. Não existe espaço para justificativas, lamentações e dúvidas. Sentado sozinho e no escuro é impossível apontar o dedo para fora de si mesmo.

Não pratique meditação se você fuma, bebe, come carnes ou usa drogas. A prática diária da concentração mental irá ativar poderosamente as energias internas do corpo. Se o sistema estiver esclerosado, a energia não irá fluir como deve. O resultado disso será imprevisível. Na melhor das hipóteses o exercício se mostrará totalmente inócuo, representando uma enorme perda de tempo.

Sessão de Meditação – Evento solidário

16130113_10210654230665530_1892325042_o

Evento: Sessão de Meditação

Data: sábado, 18 de Fevereiro
Hora: 18h00
Contribuição: um produto de higiene pessoal para a IV edição da Braga Street Store (The Street Store Portugal)

Descrição:
Iniciaremos com a prática da saudação ao sol, faremos um breve exercício de descontração e terminamos com um exercício de meditação guiada. Não é necessário ter experiência prévia em meditação.
Vagas limitadas.

Inscrições: escola@yogabraga.com  ou 938 321 482

Caminhada Meditativa

Actividade: Caminhada Meditativa

Data: 24 de Setembro, sábado

Hora de partida: 9h00
Hora de chegada: 20h00 (prevista)

Destinatários:
aberto apenas a alunos da Casa do Yoga

Sobre a caminhada: Percurso na Ecovia do Vez (parcial),  entre a aldeia de  Sobreira e a praia fluvial de Sistelo.

Distancia a percorrer: 4,5km + 4,5Km
Nível de dificuldade: fácil

O que levar:
calçado para caminhada
água
almoço e reforço alimentar
fato de banho e toalha

 

A mente pode ir em mil direcções. Mas neste caminho bonito, eu entro em paz. Com cada passo, um vento gentil sopra. Com cada passo, flores se abrem. 

A caminhada meditativa é meditação enquanto caminhamos. Nós caminhamos lentamente, de um modo relaxado, mantendo um sorriso claro nos nossos lábios. Quando praticamos deste modo,  sentimos um profundamente à vontade, e os nossos passos são os da pessoa mais segura sobre a Terra. A meditação caminhando é realmente  desfrutar do andar – andar não para chegar, apenas por caminhar, estar no momento presente, e desfrutar de cada passo. Deite fora todas as preocupações e ansiedades, sem pensar no futuro, sem pensar no passado, apenas desfrute do momento presente. Qualquer um pode fazer isto. Leva pouco tempo, alguma plena atenção, e o desejo de estar consciente. 

Nós caminhamos o tempo todo, mas normalmente é como corrida. Os nossos passos apressados imprimem ansiedade e entristecem a Terra. Se nós pudermos dar um passo em paz, poderemos dar dois, três, quatro, e então cinco passos para a paz e felicidade da espécie humana. 

A nossa mente é arremessada de uma coisa a outra, como um macaco que balança de galho em galho sem parar para descansar. Pensamentos têm milhões de caminhos, e nós somos puxados por eles para o mundo do esquecimento. Se nós pudermos transformar a nossa caminhada meditativa  num campo para a meditação, os nossos pés darão cada passo em plena consciência, a nossa respiração estará em harmonia com os nossos passos, e a nossa mente estará naturalmente à vontade. Todo passo que nós dermos reforçará a nossa paz e alegria e fará um fluxo de energia calma fluir por nós. Então nós poderemos dizer, “Com cada passo, um vento gentil sopra.”

(Traduzido do livro “Calming the fearful mind” – Thich Nhat Hanh)

 

Conheces as tuas A.R.M.A.S?

Para ter sucesso, para gerir os desafios do dia-a-dia, para conquistar qualidade de vida, precisas de cuidar de ti! Já pensaste nas A.R.M.A.S que te deixam mais forte, saudável e enérgico? Sabias que várias delas podem ser trabalhadas dentro de uma prática de Yôga?

Boa ALIMENTAÇÃO para te sentires sempre com saúde e energia!
*
A RESPIRAÇÃO está intimamente ligada aos nossos estados emocionais. Algo tão simples como respirar correctamente pode fazer a diferença na tua produtividade diária.
*
No dia-a-dia, são centenas, as solicitações e as distracções, que te desviam das tuas acções e objectivos. Dificilmente podemos modificar esses aspectos que são externos, mas podemos aprender a conviver e contornar essas situações, o que resultará num melhor desempenho e resultados. Para isso existe a MEDITAÇÃO.
*
A ACTIVIDADE FÍSICA é importante na redução do stress, fortalece músculos, ossos e ligamentos, é uma aliada na manutenção do peso e ajuda a manter a boa disposição.
*
O SONO de qualidade é muito importante, é umas das necessidades mais básicas do ser humano. Além de recarregar nossas baterias, enquanto dormimos estamos a cuidar da nossa saúde física e mental, para estarmos preparados para o novo dia.

o

Programa 31 dias de Meditação

 

31 dias meditação 3

Datas:
Inicio a 19 de Abril
Fim a 19 de Maio
Sessões Terças e Sextas às 20h

Destinatários:
– quem nunca praticou meditação ou tem pouca experiência

Programa:
Duas sessões por semana com duração se uma hora. (Inclui algumas noções teóricas, prática de meditação e algum tempo para dúvidas/questões, além de um pequeno caderno com exercícios.)
Pretende-se que nos restantes dias da semana o praticante faça as suas práticas de meditação em casa seguindo as instruções que vão sendo dadas nas sessões semanais.

Teoria:
O que é a meditação
Mitos sobre a Meditação
A natureza da mente

Meditação passo a passo
Estabelecer uma prática diária
Posição física, tempo para praticar, escolher um horário, estabelecer um espaço.
Cultivar a meditação ao longo do dia

Superar os obstáculos
O passado, o presente, o futuro, as memórias, os sonhos.

A importância da estabilidade
Alguns Mestres famosos
Benefícios da meditação
Os vários tipos de Meditação

Informações & Inscrições:
escola@yogabraga.com
938321482 ou 962779039
ou visitando-nos de segunda a sexta, das 11h às 13 e das 15h às 20h

Porquê praticar meditação?

“Se nos observarmos com atenção é fácil vermos que somos uma mistura de luz e de sombra, de qualidades e de defeitos. Um dos principais obstáculos que enfrentamos é uma convicção profunda e muitas vezes inconsciente de que nascemos da forma que somos e não podemos fazer nada para alterar isso. Com esta atitude, subestimamos significativamente a nossa capacidade de mudança.

A nossa mente pode ser a nossa melhor amiga ou a nossa pior inimiga. O objectivo da meditação é transformar a mente. Perdemos uma grande quantidade de tempo consumidos por pensamentos dolorosos, atormentados pela ansiedade ou a raiva. Seria um alívio, se pudéssemos dominar a nossa mente até ao ponto onde poderíamos estar livres dessas emoções perturbadoras.

Facilmente se aceita a noção de que passamos anos a aprender a andar, ler e escrever, ou a adquirir competências profissionais. Passamos horas a praticar exercício físico, com o objectivo de ficarmos em forma. Fazemos isso porque acreditamos que esses esforços nos trazem benefícios a longo prazo. Trabalhar com a mente segue a mesma lógica. Isso não vai acontecer apenas por se desejar. A meditação é uma prática que faz com que seja possível cultivar e desenvolver certas qualidades humanas básicas positivas, da mesma maneira que outras formas de treino tornam possível adquirir qualquer outra competência. O objectivo da meditação não é desligar a mente ou anestesiá-la, mas torná-la livre, lúcida e equilibrada.

Ao longo dos últimos 10 anos, uma série de programas de investigação científica têm sido dirigidos para documentar os efeitos de longo prazo da prática de meditação no cérebro e no comportamento. Esta pesquisa tem demonstrado que é possível fazer progressos significativos no desenvolvimento de qualidades como a atenção, o equilíbrio emocional, o altruísmo e a paz interior. Outros estudos têm demonstrado os benefícios da meditação com uma prática de apenas 20 minutos por dia durante um período de oito semanas. Essas vantagens incluem uma redução na ansiedade e na tendência para a depressão e raiva, bem como o fortalecimento do sistema imunológico e um aumento do bem-estar geral.

Praticar meditação pode permitir que os nossos dias desenvolvam uma nova “fragrância”. Os seus efeitos podem permear a nossa visão e a abordagem das coisas que fazemos, bem como as nossas relações com as pessoas ao redor. A meditação permite-nos experimentar a vida com mais serenidade, estando mais abertos a tudo o que acontece e encarando o futuro com confiança. Essa transformação permite-nos actuar de forma mais eficaz no mundo em que vivemos e contribuir para a construção de uma sociedade mais sábia, altruísta e com mais amor.”

Matthieu Ricard

Matthieu Ricard – Sobre a Meditação

Jean-François Revel – Indo um pouco além das metáforas, que mecanismo é esse exactamente?

Matthieu Ricard – Para o podermos começar a ver em acção, primeiro precisamos de tentar parar o fluxo de pensamentos que nos inunda, ainda que apenas por um instante. Sem prolongarmos pensamentos passados e sem convidarmos pensamentos futuros, simplesmente permanecemos, ainda mesmo que fugazmente, atentos ao momento presente, livres de quaisquer pensamentos discursivos.

Pouco a pouco, conseguimos tornarmo-nos melhores a ficarmos um pouco mais naquele estado de atenção. Enquanto existirem ondas num lago, as suas águas não serão nítidas. Mas se as ondas pararem, a lama desce para o fundo do lago e a nitidez cristalina da água regressa. Da mesma forma, quando os pensamentos discursivos acalmam, a mente torna-se mais clara e é mais fácil descobrirmos a sua verdadeira natureza.

Depois torna-se necessário examinarmos a natureza destes pensamentos discursivos. Para o fazer, podemos até deliberadamente fazer despertar algumas emoções fortes em nós, talvez pensando em alguém que nos magoou, ou ao contrário, em alguém que desperta o nosso desejo. Deixamos essa emoção aparecer no campo da nossa consciência, e depois “tratamo-la” com a nossa percepção interna, alternando entre uma investigação analítica e uma contemplação pura. No início, essa emoção domina-nos e faz-nos obcecar nela. Regressa constantemente. Mas continuemos a examiná-la cuidadosamente. De onde é que ela obtém a sua aparente força? Ela não tem qualquer capacidade intrínseca para magoar, como algumas criaturas de carne e osso. Onde é que ela estava antes de ter aparecido? Quando ela aparece na nossa mente, tem alguma característica – uma localização, uma forma, uma côr? E quando ela deixa o espaço da nossa consciência, vai para algum sítio? Quanto mais a investigamos, mais aquele pensamento que nos parecia tão forte nos escapa; é impossível apanhá-lo ou identificá-lo.

Atingimos um estado de “não encontrado”, em que nos detemos nalguns instantes de contemplação. Isto é o que é normalmente é chamado de: “reconhecer o vazio dos pensamentos”. É um estado de simplicidade interior, de atenção nítida, despida de quaisquer conceitos. Quando entendemos que os pensamentos são apenas uma manifestação desse estado de consciência ou simplicidade interior, eles perdem a sua aparente solidez. Eventualmente, depois de um período extenso de prática persistente, o processo de libertação torna-se natural e assim que novos pensamentos surgem eles dissolvem-se a si mesmos, não mais perturbando ou dominando a nossa mente. Eles passam a demorar tanto tempo a aparecer como a desaparecer, como desenhos feitos na superfície da água com um dedo da nossa mão…

Jean-François Revel – O que me surpreende em toda essa forma de pensar é que tudo é descrito como se a realidade do mundo exterior, as coisas que nós fazemos, os outros seres humanos e o peso da circunstâncias não existissem de todo. Certamente existem momentos em que perigos reais genuinamente nos ameaçam. Ter medo dessas ameaças, ou querer livrarmo-nos delas e portanto ter uma atitude activamente hostil contra a nossa ameaça, quando a nossa vida está em perigo por exemplo, não é algo com que se possa lidar simplesmente gerindo os nossos pensamentos! A resposta correcta é tomar um qualquer tipo de acção exterior.

Matthieu Ricard – Numa dada situação, podemos reagir de várias formas, de acordo com o nosso estado interior. As acções nascem dos nossos pensamentos. Portanto precisamos de aprender a nos  libertarmos das nossas emoções…

Jean-François Revel – Sim, mas esses são casos muito marginais…

Matthieu Ricard – … para depois podermos usar essa mestria da mente no calor do momento. Normalmente usamos a expressão “alguém se controlou a si próprio” ou “perdeu completamente o controlo de si próprio”. Neste caso, o que estamos a discutir é sobre como tornar esse controlo mais total, mais estável, com a ajuda do conhecimento da natureza da nossa mente. Não significa de forma alguma agir de uma maneira apática ou indiferente, enquanto um assassino  mata uma família à frente dos nossos olhos. Significa apenas fazer o mínimo necessária para neutralizar o adversário sem nos deixarmos invadir pelo ódio, ou matando o agressor possuídos por um estado de mente dominado por um sentimento de vingança.

A mestria da mente é por isso fundamental.

Do Livro ” O Monge e o filósofo” de Jean François Revel e Matthieu Ricard

Yôga is...an everyday practice to be your (3)

Boas razões para praticares Yôga em 2016!

Quando trabalhas o teu corpo, libertas-te!
Libertas-te da tensão, do desconforto, do stress.

Quando respiras, as emoções aquietam-se, o pensamento clarifica-se e nesse instante encontras o teu caminho.

Quando meditas, transformas-te de dentro para fora…e sorris!

Quando sorris predispões-te a encontrar a toda a hora mais coisas positivas na vida e quando deres por ti, a vida ficou leve.

Vive. Respira. Pratica Yôga!

a tua prática