Quero mudar. Por onde devo começar?

Muitas pessoas iniciam a prática de Yoga no momento em que chegam a um ponto de ruptura nas suas vidas. Pode ser um divórcio, problemas no trabalho, stress, exaustão ou até uma doença grave.

Não há nada de errado nisso. Afinal chegar a um ponto de ruptura significa necessidade de mudar, de transformar algo que não está assim tão bem nas nossas vidas. E o Yoga pode ter papel fundamental nisso, já que o maior ensinamento desta filosofia de vida é a auto-observação.

Nas sociedades modernas somos ensinados a assumir inúmeras responsabilidades. Um adulto tem de gerir uma carreira profissional, a casa, os filhos, a logística da família, etc.. Mas ninguém nos ensina a assumir responsabilidade pela nossa saúde física e mental.

Existem algumas coisas simples e bem básicas que nos ajudam a estar bem física e mentalmente e que produzem um impacto enorme em tudo o resto!

  • Durma Bem – Um sono regenerador tem um grande impacto na nossa performance cognitiva e física e também na forma como nos alimentamos. Dormir pouco faz com que o cérebro pense que precisamos de mais energia e isso vai causar o aumento da ingestão calórica ao longo do dia e uma apetência maior por alimentos de pior qualidade e bebidas estimulantes. Além disso, dormir pouco deixa-nos menos criativos, mais stressados e com maior propensão para a irritabilidade.
  • Coma Bem – A alimentação tem um grande impacto nos nossos níveis de energia e claro na nossa saúde. A má alimentação é hoje em dia vista como causa de insucesso escolar, obesidade e doenças.
  • Beba água – Sabia que os  nossos músculos são 75% de água, o nosso sangue é 82% de água, os nossos pulmões são 90% de água e o nosso cérebro é 76% de água. Já imaginou o que a falta de água pode fazer ao seu corpo?
  • Mova o seu corpo – A Organização Mundial de Saúde considera que a falta de actividade física é o quarto factor de risco para a mortalidade global e este parece ter um efeito comparável ao tabagismo e à obesidade. Não pense apenas em ficar em forma ou em trabalhar o corpo para o verão. Lembre-se que a actividade física é uma das melhores formas de combater o stress e ajuda-o a sentir-se bem no seu corpo. Experimente o Yoga!

Da próxima vez que pensar “não sei o que fazer à minha vida”, faça uma análise a estes quatro tópicos. Estabeleça um plano para melhorar cada um deles. Vai ver que daqui a umas semanas a sua força e clareza mental serão outras e certamente estará capaz de gerir melhor as suas responsabilidades.

 

Anúncios

A fórmula da felicidade

E se a felicidade tiver uma fórmula?
Parece redutor, mas é também desafiante. Eduardo Punset, escritor e divulgador científico espanhol dedicou-se a esse objectivo. Para tal reuniu-se com alguns dos mais prestigiados cientistas no campo da felicidade. O resultado desses encontros é “Viagem à Felicidade”, um livro que nos dá conta das novas chaves chaves científicas no caminho do bem-estar emocional.

O que é a felicidade?
Segundo Eduardo Punset é uma das emoções básicas e universais do ser humano e uma das protagonistas da nossa vida emocional. Como todas as emoções básicas e universais, é efémera por isso não nos podemos dar ao luxo de não a procurar.

Factores redutores de bem-estar (R)
O medo é o principal obstáculo da felicidade, mas há outros como convicções que assimilamos teoricamente. “Desaprender a maior parte das coisas que nos ensinaram é mais importante do que aprender”, refere o autor.

Carga hereditária (C)
Algumas características, fruto da herança genética, podem afectar os mecanismos do bem-estar. Neste caso, “a única coisa que se pode fazer é ter consciência da sua presença”, diz. O envelhecimento e o stress estão também incluídos nesta variável.

Factores Significativos (E,M, B e P)
E de emoção. Qualquer projecto ou tarefa que nos propomos fazer deverá ser realizado com emoção.
M de manutenção. Para sermos mais felizes devemos dedicar-nos às pequenas coisas do dia-a-dia; dar mais importância ao trabalho desenvolvido do que ao resultado final.
B de prazer na busca. Na busca e na expectativa radica a felicidade.
P de relações pessoais. A nossa felicidade depende em grande parte das relações que desenvolvemos com os outros.