Concerto de Mantra

Vamos mantrar?!
Dia 30 de Abril a Casa do Yôga recebe o professor Marco Silva para um concerto de Mantra
Faça já a sua inscrição:
escola@yogabraga.com
938 321 482 ou 962 779 039
Número limitado de vagas.

72de6c68-86a8-45b6-8d81-df5c42e69a51

Anúncios

Japamálá

O que é um japamálá?

A palavra japa significa repetição. Também se refere a uma prática que consiste na repetição verbal ou mental de um mantraA palavra málá significa corrente ou cordão. Assim, japamálá  é um cordão de repetição, usado na prática de mantras como um contador para que o praticante não se perca.

O japamálá tem normalmente 108 contas de rudráksha ou outra semente.

No Yôga e no Hinduísmo o número 108 tem um significado especial. O número 1 representa o praticante, o oito, a prática (que é constituída por oito partes); e o zero é o círculo do Absoluto, Infinito.

Para quem gosta de malabarismos matemáticos é interessante notar que este número tem algumas propriedades interessantes. Por exemplo, quando se  multiplica 1 elevado a ele mesmo por 2 elevado à 2ª e por 3 elevado à 3ª o resultado é 1 x 4 x 27 = 108. O alfabeto sânscrito possui 54 letras ou fonemas masculinos e 54 que são chamados femininos, resultando em 108 fonemas. O número nove é considerado um número sagrado para os Hindus, 1 + 0 + 8 = 9. Na astronomia o raio do sol é 108 vezes maior que o raio da terra.

RudrakshaJapaMala

O poder dos sons

Um elemento do nosso treinamento dentro do Método DeRose que sempre me cativou imensamente é o estudo das vocalizações. O poder do som é algo que sempre me motivou a praticar as técnicas com mais afinco. Até hoje, utilizo as vocalizações mentais de alguns sons do nosso acervo como parâmetro para determinar o meu nível de concentração durante uma permanência em um respiratório ou posição corporal.

Em um dos livros da bibliografia indicada pelo educador DeRose, lembro-me do autor citando que são os sons sutis do Universo que criam a matéria tal como a conhecemos. Nunca pude compreender muito bem o que isso significava, até que vi o vídeo abaixo, que mostra de forma muito clara essa realidade. O mais surpreendente é imaginar quais foram os estados de consciência que os Mestres da antiquidade vivenciaram para intuir estes processos. Note o quanto o resultado do experimento do vídeo se assemelha com os desenhos dos símbolos de meditação.

Um outro experimento que vale a pena citar sobre o poder e a força das vibrações sonoras foi realizado pelo Solar Center da Universidade de Stanford. Durante anos eles captaram a radiação proveniente do sol e traduziram as ondas recebidas em frequências sonoras. O resultado é uma compilação de sons muito poderosos e intensos, perfeitos para a prática da concentração e muito semelhantes às vocalizações contínuas do ÔM. Certamente vale a pena o clique.

Se não quiser fazer o download das faixas em mp3, você pode experimentar um pouco dos sons provenientes do sol no vídeo abaixo. Atente para o natural estado de atenção que você se coloca ao ouví-los. Espero que aproveite!

Texto do Instrutor Vernon Maraschin no Blog da Unidade Vila Madalena

Mantra: Kailash ki shaktí Shiva

Kailash ki shaktí Shiva Shankara ki jay jay (2x)
Yamuna ki jay jay Gañga ki jay jay (2x)

kailash

Tradução:

A força de Shiva Shankara que vem de Kailash, saudações, saudações
de Yamuná, saudações, saudações
de Gañga, saudações, saudações

Curiosidades:

Kailash

Kailash é uma montanha que pertence à cordilheira dos Himalayas. Situa-se no Tibete e é a nascentes dos quatro maiores rios da ásia:  o Ganges, o Bramaputra, o Indo e o Sutlej. É um lugar importante para budistas, hindus e jainistas.

Para os hindus Kailash é a morada de Shiva e Párvatí, filha de Himalaya.

Yamuná

O rio Yamuná é um dos afluentes do Ganges, e é um dos sete rios sagrados da Índia.

Conta a lenda hindu que Yamuná é irmã do deus da morte, Yama,  e filha do deus Sol, Súrya.

Ganges

É um dos principais rios do subcontinente indiano e um dos maiores rios do mundo. É um rio sagrado para os hindus que o veneram na forma da deusa Ganga.

Shiva Shankara
É o Shiva saddhu, o Shiva que medita. Muito apropriado para o mantra, já que Kailash era a montanha dos meditantes.
Jay é a contração de Jaya. É uma saudação como olá ou salve.

Gáyatrí mantra

O Gáyatrí mantra é um dos mantras mais conhecidos do hinduísmo.

Existem muitas variações deste mantra, tanto nas palavras, quanto na grafia e na entoação, dependendo da região da Índia, da língua de origem de quem o vocaliza e também da tradição (se é, por exemplo, brahmachárya ou shakta).

A que nós adoptamos é a maneira shakta. O CD que possuímos foi gravado na Índia, na cidade de Mumbai, pelo Mestre DeRose em 1980 quando ele lá esteve em uma das suas muitas viagens àquele país.

Gáyatrí mantra

ÔM bhúr bhuvah swaha.
ÔM tat Savitura varênyam.
bhargô dêvasya dhímahi.
dhiyô yô naha prachôdayátô.

tradução:

Em todos os planos da criação,
sejamos como o Sol,
esplendorosos como os deuses.
Que isso estimule nossas mentes.

Para fazer o free download do CD, entre no site do Método DeRose.

Sankalpa Band – Bhôm bhô lê Natha

 

Bhôm Bhô lê Natha, Bhôm Bhô lê Natha, Hê mahádêva,

Bhôm Bhô lê Natha, Bhôm Bhô lê Natha, Hê mahádêva,

Jaya Shiva Ômkara, Jaya Shiva Ômkara,

Jaya Shiva Ômkara, Jaya Shiva Ômkara,

Jaya Shambhô, Shiva Shambhô,

Hara Hara mahádêva ,

Jaya Shambhô, Shiva Shambhô,

Hara Hara mahádêva.