A Biografia do Silêncio

Sugestão de leitura: A Biografia do Silêncio, Pablo d’Ors

Um livro simples e muito acessível sobre meditação, no qual o autor relata a sua própria jornada.

“Basta um ano de meditação perseverante ou apenas meio ano, mais ou menos constante, para se chegar à conclusão que se pode viver de outra forma. A meditação concentra-nos, devolve-nos a casa, ensina-nos a conviver com o nosso ser, fende a estrutura da nossa personalidade até que, de tanto meditarmos, esta fenda vai crescendo e a velha personalidade rompe-se e, como uma flor, começa a emergir outra nova. Meditar é assistir a este fascinante e tremendo processo de morte e renascimento.”

Anúncios

A fórmula da felicidade

E se a felicidade tiver uma fórmula?
Parece redutor, mas é também desafiante. Eduardo Punset, escritor e divulgador científico espanhol dedicou-se a esse objectivo. Para tal reuniu-se com alguns dos mais prestigiados cientistas no campo da felicidade. O resultado desses encontros é “Viagem à Felicidade”, um livro que nos dá conta das novas chaves chaves científicas no caminho do bem-estar emocional.

O que é a felicidade?
Segundo Eduardo Punset é uma das emoções básicas e universais do ser humano e uma das protagonistas da nossa vida emocional. Como todas as emoções básicas e universais, é efémera por isso não nos podemos dar ao luxo de não a procurar.

Factores redutores de bem-estar (R)
O medo é o principal obstáculo da felicidade, mas há outros como convicções que assimilamos teoricamente. “Desaprender a maior parte das coisas que nos ensinaram é mais importante do que aprender”, refere o autor.

Carga hereditária (C)
Algumas características, fruto da herança genética, podem afectar os mecanismos do bem-estar. Neste caso, “a única coisa que se pode fazer é ter consciência da sua presença”, diz. O envelhecimento e o stress estão também incluídos nesta variável.

Factores Significativos (E,M, B e P)
E de emoção. Qualquer projecto ou tarefa que nos propomos fazer deverá ser realizado com emoção.
M de manutenção. Para sermos mais felizes devemos dedicar-nos às pequenas coisas do dia-a-dia; dar mais importância ao trabalho desenvolvido do que ao resultado final.
B de prazer na busca. Na busca e na expectativa radica a felicidade.
P de relações pessoais. A nossa felicidade depende em grande parte das relações que desenvolvemos com os outros.

B.K.S. Iyengar

Sem Título

Faria hoje 97 anos, e o Google decidiu homenageá-lo desta forma.

Foi um dos Mestres de Yôga mais conhecidos no mundo ocidental. Inspirou pessoas como Aldous Huxley ou o violinista Yehudi Menuhun. Morreu em 2014, aos 95 anos, no ano em que também foi distinguido pelo governo indiano com a Padma Vibhushan, a segunda condecoração mais importante da Índia. Escreveu vários livros, o mais conhecido “Light on Yoga”, foi traduzido em 18 línguas.

Livros – As nossas recomendações

É muito frequente os nossos alunos questionarem-nos sobre a literatura que nós recomendamos. É um momento feliz para nós instrutores, pois significa que o aluno está interessado em progredir na sua prática.

Inspiradas por essas questões partilhamos convosco as obras que são referências na área do Yôga.

A tradição do Yoga, George Feuerstein

Este livro é essencial para quem  procura informações sobre o Yôga e suas propostas, ele apresenta as diversas fases da história e da sua evolução do Yôga e também nos permite entrar em contacto com a literatura básica de onde surgiram as diferentes visões.

Light on Yoga, B.K.S. Iyengar

Este livro descreve, de maneira simples mas minuciosa, as ásanas (técnicas corporais) e os pránáyámas (exercício respiratórios). Tem uma introdução muito pormenorizada sobre o Yôga, objectivos da prática e questões teóricas importantes.

Aprendo Yoga, André Van Lysebeth

Livro excelente para principiantes. Contém a descrição pormenorizada das técnicas e ainda dos erros mais comuns.

Pránáyáma – A dinâmica da respiraçãoAndré Van Lysebeth

Para aprofundar os conhecimentos sobre pránáyáma. É um livro com muita informação, mas muito claro e preciso nas suas explicações.

A Ciência do Pránáyáma, Swámin Shivánanda

Ensinamentos bem simples sobre prána, chakras e nádís no contexto do Yôga.

Fundamento e Técnica do Hatha Yoga, Antonio Blay

Livro excelente para praticantes com muita informação sobre as técnicas do Yôga

Yoga e consciência, António Renato Henriques

Livro fundamental para mergulhar no conhecimento do Yoga Sútra de Pátañjali e no Bhagavad Gíta.

Pátañjali e o Yoga, Mircea Eliade

Livro denso mas fascinante deste historiador romeno que viveu na Índia, estudou Yôga e leu, directamente em sânscrito, textos clássicos do hinduísmo.

Yoga, Imortalidade e Liberdade, Mircea Eliade

Nesta obra, que já se tornou fonte de referência para estudiosos, Mircea Eliade resgata as origens teórico-práticas de uma disciplina vasta, abrangendo conceitos de fisiologia, psicologia, metafísicas e terapêutica.

0a

A filosofia é o ponto de partida para a prática, e nunca o contrário. Lembrem-se sempre que Yôga é 99% prática e 1% teoria!

O sol

Conheça um pedacinho do livro Eu me lembro… do Professor DeRose, que narra uma cultura naturalista, uma sociedade matriarcal e sensorial. Um mundo sem disputas, onde o amor e espontaneidade são vividos em sua forma mais pura.

“Quando o sol se punha, todos parávamos o que estivéssemos fazendo e ficávamos em pequenos agrupamentos observando o crepúsculo. As famílias se reuniam, as crianças se encarapitavam nos ombros dos mais velhos ou no colo dos pais. Os casais se acolhiam e acariciavam.

Essa era a “hora de fazer as pazes”, se alguém ainda estava ressentido com alguma coisa; era também a hora da recitar poesias, quase sempre compostas de improviso, ali mesmo. Sempre foi muito fácil para o nosso povo compor poemas de amor, ao pôr-do-sol, pois os rostos ficavam docemente iluminados pelo alaranjado do sol poente.

Não tínhamos noção do que era aquele disco luminoso no céu, mas sabíamos que era lindo e que devíamos a ele a nossa vida, a luz que nos iluminava, o calor que nos aquecia no inverno. Não imaginávamos que fosse alguma divindade e sim um fenômeno natural como o raio, o trovão ou a chuva, e o reverenciávamos com um grande respeito e afeto.”

ponto-de-vista (1)

Sugestão de leitura: Ismael – Como o mundo veio a ser o que é

O livro “Ismael – Um romance da condição humana” é um romance filosófico de 1992, escrito por Daniel Quinn, que examina a mitologia, seus efeitos na ética, e como isso reflecte na sustentabilidade. O romance é repleto de ideias a respeito da evolução das civilizações humanas, da relação da humanidade com o mundo ao seu redor e do conceito de que somos o ápice da evolução e a espécie dominante no mundo.

“PROFESSOR procura aluno. Deve ter um desejo fervoroso de salvar o mundo.Candidatar-se pessoalmente.”

gorila

“Professor procura aluno. Deve ter o desejo sincero de salvar o mundo. Candidatar-se pessoalmente”.  Era o que dizia um anúncio publicado na secção de classificados do jornal. O narrador, ao ler a mensagem, ficou perplexo com a ingenuidade da proposta. No entanto, ao lembrar-se dos seus anos de rebeldia juvenil, o homem resolve procurar o tal professor que deseja salvar o mundo. Ao chegar ao local mencionado no jornal, o narrador vê que o professor, na verdade, é um gorila chamado Ismael. Ismael consegue comunicar-se através de telepatia, e utiliza esse artifício para trocar mensagens com seu novo aluno.

Ismael conta a história da dominação humana sobre a natureza, e a sua própria história é um retrato disso, pois o gorila foi retirado da sua vida livre na floresta africana para servir a exposições itinerantes e a zoológicos. Ao contar a história da evolução humana, e da relação da nossa espécie com as demais, Ismael explica ao seu aluno o surgimento da chamada civilização, a partir do cultivo de vegetais e o início da agricultura moderna. Com a agricultura, a nossa população humana aumentou, afinal a maior quantidade de alimento possibilitou que um número maior de pessoas vivesse e se fixasse a determinado local. E tudo isso, explica Ismael, foi a solução para alguns dos problemas da humanidade, e o início de outros…