Sobre Casa do Yoga

Influenciar positivamente a vida de cada pessoa que entra em contacto connosco. Compreender as suas necessidades e proporcionar uma saúde plena, desde o nível físico, emocional e mental até ao autoconhecimento, através das técnicas e dos conceitos do Yoga.

Higiene Emocional

Aprendemos a cuidar da nossa higiene física. Tomamos banho todos os dias, escovamos os dentes, vestimos roupas limpas e por aí vai. São hábitos que incorporamos.

Mas e a higiene emocional, como anda a sua? Tem se preocupado com ela?

Guy Winch é psicólogo e autor do livro “Como Curar As Suas Feridas Emocionais”, e procura ensinar os seus leitores a melhorar a sua “higiene emocional”, ou seja, a cuidar da forma como as suas emoções actuam e o seu impacto no resto do corpo. Através de muita pesquisa e da vivência com seus pacientes, Winch desenvolveu uma série de orientações que actuam como um verdadeiro kit de primeiros socorros psicológico:

1. A sua saúde mental também precisa de atenção

2. Pratique higiene emocional como se fosse higiene pessoal

3. Proteja a sua autoestima

4. Evite ruminar eventos passados negativos

5. Interrompa pensamentos negativos

Anúncios

Porquê 108?

O número 108 é tido como um número sagrado no hinduísmo. Está presente em diversos elementos da tradição hindu.

  • O japamala (cordão usado para a contagem do japa) tem 108 contas.
  • De acordo com a tradição do Yoga existem 108 lugares sagrados na Índia.
  • Há 108 Upanishads (textos sagrados).
  • A Ayurveda considera 108 pontos de energia (marmas) ao longo do corpo.
  • O alfabeto sânscrito possui 54 letras ou fonemas masculinos e 54 que são chamados de femininos, resultando em 108 fonemas.

Do ponto de vista matemático este número possui uma série de características notáveis:

  • 9 X 12 = 108, sendo que 12 e  9 são considerados números sagrados no oriente.
  • Ao multiplicar 1 elevado a ele mesmo por 2 elevado à 2ª e por 3 elevado à 3ª o resultado é 1 x 4 x 27 = 108.
  • Os ângulos interiores de um pentágono perfazem exactamente 108 graus.
  • O diâmetro do Sol é 108 vezes o diâmetro da Terra.
  • etc.

No  Yoga é comum os praticantes executarem 108 Saudações ao Sol (Súrya Namaskar). Isto acontece normalmente no início de cada estação, na passagem do ano ou em alguma data importante. É uma forma de comemorar a mudança.

Súrya significa Sol em Sânscrito (língua antiga da Índia), Namaskar representa um gesto ou uma palavra de cumprimento ou de saudação. Traduzindo literalmente Súrya Namaskar é a Saudação ao Sol.

O Súrya Namaskar é uma prática muito antiga que remonta aos tempos em que os povos veneravam o Sol e lhe prestavam culto através de rituais específicos.

A Saudação ao Sol pode ser praticada de várias formas, de acordo com os interesses do praticante. Pode ser executada de uma forma mais lenta ou mais rápida e o número de repetições pode ir das 10 às 108.

Praticar o Súrya Namaskar 108 vezes é uma experiência poderosa e transformadora. Além de ser uma maneira incrível para desintoxicar o físico e o mental, é um gesto memorável para marcar o fim de algo ou o início de um novo ciclo. Antes de tentar fazer as 108 vezes, convém praticar bastante. Começar pelas 10 repetições e ir acrescentado mais à medida que se sentir preparado.

A Saudação ao Sol possui muitas variações. Na Casa do Yoga costumamos usar esta:

Além das doze técnicas corporais, é necessário aprender a forma correcta de respirar e podem associar-se bandhas e visualizações. Os benefícios físicos são muitos, mas o mais importante é o foco e clareza mental que esta prática proporciona já que ela é considerada uma meditação em movimento.

 

Sentir-se em Casa!

No final do ano 2014 decidimos mudar o nome do nosso espaço. Pensamos muito antes de escolher o novo nome. Queríamos que reflectisse o que se passa dentro destas paredes. Foi assim que surgiu o nome Casa do Yoga. Estamos prestes a comemorar 3 anos de mudança e não podíamos deixar de vir aqui lembrar o que nos faz ser Casa do Yoga!

Como é bom e libertador sentir-se em casa! Não importa a arquitectura, o tamanho, a localização, o mobiliário…nada disso.

Para nós, sentir-se em Casa é…

Sentir-se em Casa é um doce sentimento de nos percebermos aceites e queridos da maneira que somos. É sentir que temos liberdade para nos expressarmos, sentir que temos à nossa volta pessoas que nos entendem e que nos ajudam a crescer e com as quais as horas passam a voar porque cada momento é realmente único.

Sentir-se em casa é estar bem consigo. É estar bem no seu corpo, na sua voz. É cuidar-se, amar-se, valorizar-se. É saber rir e não se levar demasiado a sério, e é também saber chorar e aceitar as próprias falhas. Sentir-se em casa é saber que damos o nosso melhor a cada momento, é sentir que o futuro está à nossa espera.

Evolui

Algumas constatações evolutivas que já deves ter vivido mas ainda não tiveste consciência.

1- O outro não existe para te agradar.

2- Ninguém é culpado pelo que estás a sentir. És tu que optas pelos sentimentos que tens neste momento.

3- A arte de viver sem expectativas e, sim, com perspectiva é a chave para não se frustrar.

4- Cura em ti o vício da necessidade de aprovação do outro. Só assim, poderás desfrutar da ousadia e confiança natural do seu espírito.

5 – Tu não tens controle de nada, por mais que acredites que tenhas. Lembra-te, daqui a pouco a Terra irá reivindicar o teu corpo e deixarás este planeta para ingressar numa nova fase de existência. Abre mão do controle, só assim terás domínio sobre ti mesmo e sobre a tua vida. Controle é um reflexo do medo, domínio é um reflexo do estado de ausência absoluta de tensão interna.

6- Não te deformes nem te descaracterizes para tentar “caber” no espaço apertado do pensamento que o outro tem em relação a ti. Isso não vai dar certo. Quando tu te deformas para agradar a alguém, a tua luz apaga-se e és apenas tu que ficas no escuro e te sentes perdido.

7- Não acredites no que os outros te dizem, por mais romântico e poético que possa ser. O que importa são as atitudes e não as palavras.

8 – Abandona o orgulho e o delírio de acreditar que tudo vai ser como tu queres.

9 – Tudo é passageiro. De perto a vida é uma tragédia, de longe é uma comédia. Daqui a pouco vais rir de todos os dramas que criaste. Pois tudo passa.

10 – Tu és responsável por tudo que está a acontecer na tua vida. Os teus pensamentos e sentimentos predominantes irão formatar a tua realidade; quer tu queiras, quer não. Portanto, se quiseres mudar a tua realidade, muda os teus pensamentos e sentimentos.

11- Carência emocional não é a necessidade de receber e, sim, de se dar. Só tu poderás suprir tuas necessidades emocionais. Projectá-las em alguém é o mesmo que pedir para que alguém se alimente para saciar a tua fome.

12 – Vive com simplicidade e com mais realidade. Só assim, quem realmente és, vai surgir de verdade. Ri mais e não leves tudo tão a sério. Afinal de contas, a essência da vida é descobrir-se e desfrutar desta maravilhosa aventura chamada evolução.

Adaptado de um texto da Autoria de Horácio Frazão.

Maturidade Espiritual

Mestre, o que é veneno?
– Qualquer coisa além do que precisamos é veneno. Pode ser poder, preguiça, comida, ego, ambição, medo, raiva, ou o que for.
Mestre, o que é o medo?
– Não aceitação da incerteza. Se aceitamos a incerteza, ela se torna aventura.
Mestre, o que é a inveja?
– Não aceitação do bem no outro. Se aceitamos o bem, torna-se inspiração.
Mestre, o que é raiva?
– Não aceitação do que está além do nosso controle. Se aceitamos, torna-se tolerância.
Mestre, o que é ódio?
– Não aceitação das pessoas como elas são. Se aceitamos incondicionalmente, então torna-se amor.

Mestre, o que é maturidade espiritual?
1. É quando paras de tentar mudar os outros e te concentras em mudar a ti mesmo.
2. É quando aceitas as pessoas como elas são.
3. É quando entendes que todos estão certos na sua própria perspectiva.
4. É quando aprendes a “deixar ir”.
5. É quando és capaz de não ter “expectativas” num relacionamento, e te doas pelo bem de te doares.
6. É quando entendes que o que fazes, fazes para a sua própria paz.
7. É quando paras de provar para o mundo, o quão inteligente és.
8. É quando não buscas a aprovação dos outros.
9. É quando paras de te comparar com os outros.
10. É quando estás em paz contigo mesmo.
11. Maturidade espiritual é quando és capaz de distinguir entre “precisar ” e “querer” e és capaz de deixar ir o teu querer.
E por último, mas mais significativo!
12. Ganha maturidade espiritual quando paras de anexar “felicidade” em coisas materiais!