Como ajudar o país

 

Zizhang procurou Confúcio por toda a China. O país vivia um momento de grande convulsão social e ele temia derramamento de sangue. Encontrou o mestre junto a uma figueira, meditando tranquilamente.

– Mestre, precisamos urgente de sua presença no governo! – disse Zizhang. – Estamos à beira do caos!

Confúcio continuou meditando…

– Mestre! Ensinaste que não podemos nos omitir – continuou Zizhang. – Disseste que somos responsáveis pelo mundo.

– Estou rezando pelo país, – respondeu Confúcio. – Depois irei ajudar um homem na esquina. Fazendo o que está ao nosso alcance, beneficiamos a todos. Tentando apenas ter ideias para salvar o mundo, não ajudamos nem a nós mesmos. Existem mil maneiras de se fazer política e não é preciso ser parte do governo.

In Histórias para os pais, filhos e netos -volume I, Paulo Coelho

transferir (2)

Quantos vezes não tivemos vontade de salvar o mundo? Ficamos à espera de ter uma grande ideia, ficamos pela intenção…

Às vezes pequenos gestos ou simplesmente fazer o que está ao nosso alcance pode ser uma grande ajuda para alguém. É aquela velha história, se cada um contribuir com pouco, todos juntos contribuímos com muito!

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s